Estratégias de reacção

Muito se fala na crise. A crise tranformou-se nesse deus omnipresente, omnipotente, que em tudo está, em tudo se manifesta ...
A mim, a nós, esta situação impele-nos a reagir. A tirar essa omnipesença dentro de nossa casa.
Mas como?
O que se segue não interessará a mais ninguém senão à fidelidade à nossa história, ao nosso capital de memórias, e só por isso aqui ganha lugar.

A primeira preocupação será sentida por muitos: fazer uma alimentação saudável fica (muito) mais caro do que não ter preocupações a este nível. Ter em conta as tabelas nutricionais, comprar legumes e frutas, fiambre de perú e queijo magro em vez de fiambre de porco e queijo carregadinho de gordura pode ficar no dobro do preço na hora de pagar... como diriam nuestros hermanos: no intiendo!

Então como reagimos? Com pequenos truques, tiques, rotinas, que se adequem ao nosso ritmo de vida meio louco

1. Os legumes, grande parte da fruta, os ovos, são comprados maioritariamente numa quinta que produz os produtos que vende ou, em alternativa, não provêm de um raio superior a 30km do posto de venda. A alternativa é o mercado ao sábado de manhã. Mais raramente as grandes superfícies em produtos desta natureza. Desta forma, não só temos garantia de consumirmos produtos de maior qualidade, sem refrigeração pelo meio, mas ainda ajudamos os produtores locais. E são mais baratos!

2. Os iogurtes são feitos em casa diariamente. Somos 5 e a iogurteira faz 8 copos de cada "fornada". Fica muito mais barato, não ocupa mais do que 5 minutos prepará-los, e controlamos os níveis de açucar. Assim, só compramos iogurtes líquidos e aos sólidos juntamos doce (também feito em casa) ou cereais ou fruta e mel, ...

3. As bolachinhas para levar para fora de casa não são compradas em embalagens individuais, salvo raríssimas excepções (e sempre em momentos de promoções/descontos). O Continente tem umas caixinhas porta-bolachas (3 custam 1€), que possibilitam o transporte tal e qual como as outras. No caso das crianças, os pacotes de bolacha Maria com o Noddy, o Ruca, a Hello Kitty ou afins, podem ser fortes concorrentes, mas basta imprimir o boneco e colar na tampa da caixa (que podemos ir mudando), que eles acham piada à "personalização"".

4. As gelatinas embaladas em doses individuais (tipo packs de iogurte) também são feitas em casa. A loja Espaço Casa tem umas caixinhas de várias cores, com tampa, reaproveitáveis, que têm as dimensões ideais para distribuir a gelatina após feitas, que depois podem ser levadas para fora de casa tais como as outras.

5. A maior parte das vezes os gelados são feitos em casa. Os bolos também.

6. Em nossa casa não se estraga comida. Quase tudo pode ser aproveitado, transformado em novas ementas e, desde que vá havendo sopa por casa, não é raro, em determinado dia da semana ser dia de buffet em casa.

7. Mais de 95% das vezes, as crianças levam pão para os lanches escolares. Cá em casa não entram bolicaos, pães com chocolate, e afins. Levam pão com queijo, com fiambre, com manteiga, com patê, .... É mais barato e é mais saudável. As outras coisas estão reservadas a momentos muito especiais e raros.

7. Usamos uns tapa-tudo, também comprados na despensa do Sr. Belmiro. Vendem-se em conjuntos de 3, têm vários diâmetros, são reutilizáveis e permitem poupar muitos metros de película aderente, sendo ecologicamente muito mais responsável.

8. Fazemos uma reciclagem activa e tentamos minimizar a utilização gratuita de papel e plástico que só nos acompanham entre o supermercado e a nossa casa (nos iogurtes, sumos, embalados, cereais, ...). Não sabemos não reciclar.

9. Analisamos os folhetos de promoções e vemos o que realmente importa comprar em desconto. Enlatados, conservas, produtos de longa conservação, não raro se compram em maiores quantidades, de forma a haver sempre algo com que rapidamente fazer uma refeição.

10. Até para mim já seria uma maçada continuar. Mas fica aqui o registo de que reagimos. Como podemos. Como sabemos. Com pequenos gestos que não nos ocupem muito tempo, mas possam tornar a gestão do nosso orçamento familiar um pouco mais facilitada. Se ajudar o meio ambiente também, melhor ainda.

Comentários

  1. Sabes que gostei imenso destas tuas dicas?

    Li, tudo, tudo até ao fim!

    Desconhecia essas coisas dos porta-bolachas.acho que tenho de procurar umas coisas dessas para mim, para trazer para o trabalho, em lugar de comprar packs individuais (mais caros!).

    Claro que os meus não vão precisar de autocolantes ;).

    beijocas e obrigado pelas dicas!

    ResponderEliminar
  2. Olá mãeee (é estranho chamar-te isto!).
    Aqui em casa cumprimos à risca as dicas 1, 5, 6, 8, e 9. Desde sempre. Ando há algum tempo a pensar na iogurteira, a minha mãe tinha uma e eu adorava os iogurtes... confesso que uso película aderente, mas de facto esta é uma boa dica, como é que eu não pensei nisso? Gelatinas faço tamanho familiar, e as bolachas e lanches já quase não levamos para lado nenhum...
    Obrigada. Aprendemos sempre alguma coisa umas com as outras...
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  3. Pepita, a sério?
    Que engraçado, escrevi este post to self. mesmo... ainda bem que gostaste e te foi útil de algum modo.
    beijo

    Carlinha,
    bem sei que sim. Agora sendo 6, mais ainda concerteza. Imaginação e muito amor fazem, ou podem fazer muita diferença.

    Luisinha,
    foi precisamente por me lembrar da iogurteira onde a minha mãe fazia os iogurtes da minha infância, que lhe perguntei se ainda andava lá por casa. E é nessa iogurteira mesmo, com 30 anos, que hoje faço os iogurtes diários. Ontem aventurei-me a ver se consigo fazer iogurtes líquidos. Qualquer dia fico autosuficiente :)
    Já comentei lá, que me chamo S., embora por casa nem me lembre bem que assim é :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Muito bom. Gostei das dicas, também desconheço o porta-bolachas.
    Bj

    ResponderEliminar
  5. Não sabia dos porta-bolachas. Eu mando em tuperwares, mas são granditas... VOu investigar.
    Sabes, eu sempre poupei...mania de família e de vidas difíceis... Ainda bem que a minha mãe me ensinou tanta coisa:)
    Beijinhos...
    Ah...e fiquei a pensar nos iogurtes...

    ResponderEliminar
  6. Belladona, obrigada. Como o porta-bolachas parece ser desconhecimento geral, acho que vai ter direito a ser fotografado :)

    Sofia, também eu, minha linda, também eu. A maior parte destas coisas são aprendizagens de toda a vida, enquanto filha, enquanto mãe.
    Beijinhos doces às duas

    ResponderEliminar
  7. Nós cá por casa também somos 5 e também praticamos a maior parte das dicas que dás. Desde as bolachas (em tuppers e não se importam se não têm bonecos porque só gostam mesmo de bolachas Maria) à reciclagem de tudinho (incluído do óleo e do azeite). Não conheço os porta-bolachas nem os tapa tudo. Não vivo em Portugal mas quando aí for no Natal vou procurar. Quanto aos iogurtes, também tenho iogurteira e também os faço em casa mas não sei se poupamos. 8 iogurtes de marca branca do supermercado onde os compramos saem mais baratos que o litro de leite + 1 iogurte com que faço 7 na iogurteira e são muito bons. E já agora uma questão: A mim os iogurtes saem-me líquidos. Os meus filhos costumam agitá-los e bebem-nos. Lembro-me que nas instruções da iogurteira dizia que se devia usar leite em pó para dar mais consistência mas não quero usar. Como os fazes tu?

    Descobri este blog recentemente mas já é um dos que visito regularmente.

    E também podia assinar Mããããe porque na verdade há sempre 3 vozezinhas a precisar da minha atenção mas na verdade chamo-me

    Helena

    ResponderEliminar
  8. Olá Mãeee Helena!
    Como dizia no´início, estas dicas são mesmo para memória futura, porque não são nada de extraordinário.
    Quanto aos iogurtes, para nós algo importante é estarem a consumir iogurtes sem muito açucar. Por vezes ficam um pouco mais líquidos, mas nada de muito diferente dos comerciais "normais", i.e., não cremosos e etc, aos quais são acrescentadas natas.
    Eu faço 1lt de leite, 2 c. sopa de leite em pó, 1 iogurte natural e açucar q.b. Ponho o leite em pó porque não tenho flor de iogurte (maisa cara e difícil de encontrar)
    (pode juntar açucar baunilhado, ou pedacinhos de fruta, há montes de ideias/receitas disponiveis). iogurtes líquidos querem eles agora também homemade! Vou testando
    muitos beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Imagino os euros que se poupam em pormenores aparentemente pequenos como esses.Tenho de começar a pôr em pratica todas as dicas. :)

    (Quando vejo o teu nick, faz-me lembrar aquela música "mãe querida, mãe querida... Lá lá lá"!!)
    :D:D

    Beijinho grande*

    ResponderEliminar
  10. S.M..............., posso dizer aqui que me ofereceste um desses porta-bolachas, posso??

    Pronto, a S.M.............. ofereceu-me um porta-bolachas desses, um não, três, porque eles vêm em pack, sendo que são utilizados diariamente. Um para mim e os outros dois para os pirralhitos mais novos levarem para a escolinha. E com isto, deixei de comprar bolachas em pacotinhos.

    Obrigada amiga!

    Conheço as estratégias que referiste assim como a forma como tu e o Mr. Marido as põem em prática, de forma sempre prática e divertida, e só vos posso dar, once again, os meus sinceros parabéns!

    GMMMMDT (Mas isso tu já sabes, não é?)

    ResponderEliminar
  11. Gostei das dicas!
    Algumas já praticamos, claro
    Iogurtes feitos em casa não me arrisco (a tripa da minha amostra de gente dá-se bem com bifidos e nem quero experimentar largá-los que temo o bebegel...)
    e os tapa tudo, a minha mãe tem, mas eu opto por despejar tudo para tuperwares ou pirex com tampa, sacos plasticos que lavo...
    E quem me dera ter por aqui um mercado...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Aqui a mamã solteira anda a reaprender a viver em economia, um bocadinho mal habituada à vida com um certo à vontade que tinha. Sempre fui poupada porque era o meu feito, mas agora sou mesmo "obrigada" a sê-lo. Ando a "beber" todos este ensinamentos que são precisos. Obrigada por partilhares!

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares