Tenho saudades de quando as férias grandes eram mesmo grandes.
Dos dias longos, de um tempo sem fim, em que viajava embalada numa rede, à sombra dos pinheiros vizinhos, tendo por companhia um livro, depois outro, e mais um ainda ...
Dos dias longos que se seguiam, onde a companhia dos pinheiros era substituída pelos longos dias de praia: a conquista da duna, a corrida até à visão do mar - e com ela sempre a mesma sensação de aproximação do meu pai. Estar ali, olhar o mar; entrar no Oceano, tornava-me mais próxima da sua casa [um barco numa qualquer milha do Atlântico]...

Nunca fiz férias fora de casa na infância. Nunca conheci como meu o frenesim da "partida para férias", nem tão pouco a antecipação do regresso ao lar ... tudo o que era possível os longos dias de Verão ofertarem-me, era-me concedido nesta teia das ruas e espaço físico em que vivia. O mesmo cenário para tantas aventuras que o tornavam tão diferente que era impossível dizer que era o meu espaço, o mesmo dos outros dias do ano...

Tive a sorte de crescer junto do mar, num cordão de areia abençoado, que me oferece o mar e a ria. Que já me ofereceu um areal sem fim.
A cada ano o mar recupera o que considera seu, sempre um pouco mais de mar para um pouco menos de manto de areia ... mas estas praias serão semrpe parte de mim: mesmo com vento. banhadas com águas com menor quentura do que a desejada. Mesmo com mais confusão do que as praias da minha infância: as mesmas e, no entanto, nunca mais as mesmas ...

No gavetão das minhas memórias, esses dias simples, sem viagens superiores a 5km, sem hotéis, nem aviões, ..., foram dias felizes.
Nos dias da minhas férias grandes mesmo grandes, tudo era possível: era só imaginar, ler, escrever, tornar possível ... passava dias sozinha, acompanhada do meu bando de livros e todas as viagens eram possíveis. A nenhum local me era impossível ir.

Deitada na minha rede de descanso, feita com o cordame enfeitado de nós que só um pai marinheiro sabe tecer, fui feliz. Na simplicidade dos meus dias.
Quando as férias grandes eram mesmo grandes e tudo era possível

Comentários

  1. Hum que fiquei tão nostálgica....tb tenho saudades das minhas férias assim: grandes e acima de tudo felizes pela simplicidade.

    bjs

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares