Real magic, simple life

Há qualquer coisa verdadeiramente mágica no olhar de uma criança quando lhe dizemos para se preparar para uma incursão na praia.
A razão é-me, em parte desconhecida: será a imensidão de areia ou a promessa de beijos de uma água salpicada de sal? ... os tesouros a construir. O correr de um tempo que se oferece mais livre, onde toda a magia pode acontecer ...
Os grãos de areia fazem-nos a vontade e, amansados por um pouco de água, transformam-se em castelos, estrelas do mar que são afinal caixinhas de sonhos e segredos, o sol que aquece as aventuras e doura a pele e os sonhos
E os banhos de mar? A sensação de vitória, de conquista, sempre que se vence uma onda, e outra, numa dança interminável: nós e a água, a espuma e o sal, a possibilidade de mergulhar menina e saltar sereia ...

A magia aconteu-nos este fim de semana. Primeiro numa praia tão perto de nós, onde contruímos mais afectos e memórias. Ontem, numa descoberta tão boa, tão imprevisível. Na praia com nome de osso de cetácio mágico, os meus filhos foram felizes ao final da tarde.
E nem o facto de não irmos preparados estragou o momento: a minha omnipresente écharpe tornou-se toalha, as roupas voaram até mostrarem os superheróis que se escondem na roupa interior e, depois de uma 'queda' acidental bem dentro de água, o naturismo falou mais alto e foi bem assim, com toda a pele beijada pelo sol, sem peneiras, que abandonaram o areal ...
A magia fez-se acontecer. Sem planos marcados nem aviso prévio. E foi bom. Muito bom.

Comentários

  1. Ás vezes os momentos inesperados são muito melhores que aqueles planeados até ao ínfimo pormenor

    Bjos

    ResponderEliminar
  2. Sabes porque foi bom? Porque o tempo quando é contado proporciona pequenos momentos inesperados, e esses, os inesperados são aproveitados ao máximo!
    Gosto de te "ver" assim....

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares