But then ...

... depois chegamos a casa a desoras. O trabalho assim [nos] absorve. A mais velha ficou, mais uma vez, com os mais novos, e já sabíamos que haveria lugar a bolachinhas para o pós-jantar ou para o pequeno almoço de amanhã... um telefonema e uma pergunta - estupidamente respondida, diga-se de passagem [blaime the stress] * - já nos tinha alertado para a forte possibilidade de tornado na cozinha com cheiro delicioso a bolachinhas ao chegar ...

... mas nada nos preparou para entrar no nosso quarto e ter este mimo - integralmente pensado, amassado, cozinhado e emoldurado em palavras de amor pelos dois mais novos:


[á nossa espera. em cima da nossa cama. pelos nossos filhos. by mãeee S.. Coimbra, 12.II.2014]


... e agora que eles já dormem e a sala é um bocadinho dos dois. enquanto enlaçamos as mãos livres e lemos cada um o seu livro. enquanto tecemos aventuras e sonhos e mimos presentes e futuros...

 agora, nestes momentos eu penso: todo o meu mundo está aqui. e tudo está exactamente onde deve estar. na palma da tua mão. nas mãos amanteigadas e cheirosas dos nossos pequenos seres. e nesta equação perfeita: uma soma que tem dado muitos e bons frutos. um amor que se alimenta do fermento destas pequenas coisas.

Comentários

  1. Há bolachas que nenhum pasteleiro faria melhor!

    ResponderEliminar
  2. E o importante é isso. O que está aí contigo. Eu não acredito em vidas perfeitas, aliás só gosto de vidas imperfeitas. Daquelas que amam e sofrem, daquelas que têm os dias bons e maus. Daquelas que nos fazem acreditar que existem seres humanos e não robots. Gosto sempre de te ler. Beijinhos. Sei que nem sempre respondo, mas obrigada pela tua presença lá no meu canto, com palavras sempre de perlimpimpim.

    ResponderEliminar
  3. Ando tão desparacida, perdoas-me? que familia linda, e resiliente. Parabéns!

    ResponderEliminar
  4. Que coisas maravilhosas!
    Os meus fazem desenhos do pai e da mãe com um coração no meio! :)

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares